Monthly Archives: Outubro 2009

Leilão Imóveis 01/11/2009 – PORTO – EuroEstates

PRÓXIMO LEILÃO EUROESTATES NO DIA 1 DE NOVEMBRO NO HOTEL NOVOTEL PORTO GAIA

Veja aqui o CATALOGO dos imóveis a leilão no site da Eurostates.

Anúncios

Leilão Imóveis 31/10/2009 – LISBOA – EuroEstates

PRÓXIMO LEILÃO DA EUROESTATES NO DIA 31 DE OUTUBRO NO HOTEL CORINTHIA LISBOA

Veja aqui o CATALOGO dos imóveis a leilão no site da Euroestates.

Leilão Imóveis 31/10/2009 – Porto – Luso Roux

LEILÃO LUSO ROUX NO DIA 31 DE OUTUBRO ÁS 15H NO NOVOTEL PORTO GAIA

Veja aqui a LISTAGEM COMPLETA dos imóveis a leilão no site da Luso Roux.

Leilão Imóveis 01/11/2009 – Lisboa – Luso Roux

LEILÃO LUSO ROUX NO DIA 01 DE NOVEMBRO ÁS 15H NO HOTEL VILA GALÉ ÓPERA LISBOA

Veja aqui a LISTAGEM COMPLETA dos imóveis a leilão no portal da Luso Roux.

Confidencial Imobiliário lança Prémio André Jordan para Investigação em Economia do Imobiliário.

A Confidencial Imobiliário lançou o Prémio André Jordan para Investigação em Economia do Imobiliário. Este prémio terá como objectivo principal objectivo a promoção e a realização de trabalhos de investigação sobre economia do imobiliário bem como a disseminação esse conhecimento pelos profissionais do mercado.

O prémio organiza-se em duas categorias diferentes: Prémio para Teses de Mestrado com um prémio pecuniário de 1.000 € e possibilidade de publicação do trabalho em edição adaptada para distribuição pelo mercado; Prémio para Teses de Doutoramento ou Artigos Científicos com um prémio pecuniário de 7.500 € e divulgação editorial do trabalho.

As principais áreas abrangidas são:

  • Economia e gestão imobiliária
  • Finanças, investimento e avaliação
  • Marketing e informação
  • Fiscalidade
  • Economia urbana
  • Planeamento e urbanismo
  • Sustentabilidade e ambiente
  • Imobiliário e turismo

O prémio tem uma periodicidade bienal, abarcando os trabalhos concluídos nos dois anos anteriores devendo os trabalhos ser remetidos a concurso até 31 de Dezembro de 2009.
premio
Para visualizar a brochura com mais informação, por favor clique na imagem.

Investimento em imobiliário industrial cai 50% no 1º semestre de 2009 na Europa

O volume total de investimento directo em imobiliário industrial na Europa ultrapassou pouco mais de 2,2 biliões de euros no 1º semestre de 2009. Este valor significa um decréscimo de aproximadamente 45% face ao semestre anterior e de 50% face ao período homólogo de 2008 segundo o ultimo On Point – European Industrial Markets Autumn 2009 da Jones Lang LaSalle.

Segundo o estudo houve um enfraquecimento significativo da procura de espaços suscitando um aumento dos níveis de desocupação. Tal situação veio assim fortalecer a posição dos ocupantes presentes no mercado adquirindo melhores condições contratuais tanto pela diminuição das rendas ou pelo aumento dos incentivos. É assim espectável que a procura futura venha a ser conduzida sobretudo por um reposicionamento estratégico face às redes de distribuição existentes e pelos mercados emergentes.

Report JLL

Os volumes de investimento mantiveram-se aquém, contudo tem-se verificado alguma variação nas yields desde que atingiram o seu pico. As prime yields esperam-se que estabilizem durante o segundo semestre de 2009 na maioria dos mercados com o mercado britânico a liderar a compressão das yields com o aumento da competição por activos prime.

Clique na imagem para ter acesso ao estudo.

CML e SCP chegam a acordo para desbloquear o impasse nos terrenos de Alvalade

A Câmara de Lisboa vai ter que pagar ao Sporting 18 milhões de euros, parte dos quais em imóveis para recuperação, segundo o protocolo a assinar com o clube que será analisado quarta-feira em reunião do executivo.
Fonte: ionline.pt

Na próxima 4ª feira deverá ser assinado um protocolo entre o SCP e a CML relativamente aos terrenos junto ao estádio de Alvalade.
Este impasse já há muito que se arrastava com o SCP a reclamar o direito de cerca de 29 mil m2 de área construtiva numa nova urbanização junto aos terrenos do Estádio de Alvalade sem necessidade de precisar ceder quaisquer áreas para equipamentos de utilização colectiva ou espaços verdes, por via anteriores decisões de anteriores Presidentes da Câmara de Lisboa.

Um Tribunal Arbitral decidiu assim que o SCP tem efectivamente direito a 29000 m2 de edificabilidade mas que estes não poderão ser concretizados nos terrenos do antigo estádio. Decidiu também que no âmbito do processo de loteamento dos terrenos do antigo estádio e face a um acordo entre autarquia e clube em 2007, não é obrigatória a cedência de áreas para espaços verdes e equipamentos de utilização colectiva.

Segundo o protocolo em análise na próxima 4ª-feira, a autarquia fará ainda um Plano de Pormenor relativo à área abrangente dos terrenos do Sporting e do interface de transportes do Campo Grande e que permitirá a construção, pelo clube, de um gimnodesportivo com uma área de implantação de 4500m2 e área de construção de uso desportivo de 9000m2.

Em contrapartida, o Sporting aceita que o valor da compensação para os 9 000 m2 do pavilhão seja avaliada em cerca de 3 milhões de euros (335 euros/m2) e cede à Câmara de Lisboa parte da restante parcela, “devidamente ajardinada, para utilização como espaço público verde”. Os restantes 18 milhões (dado que o direito a 29 000m2 de edificabilidade foi avaliado em 21 milhões de euros) serão assim pagos em numerário e mediante a entrega de um conjunto de imóveis municipais para projectos de recuperação “legal e fiscalmente enquadrados no regime de reabilitação urbana”.

Esperemos então por 4ªfeira para conhecermos mais contornos do protocolo a celebrar.

Redução do valor médio da habitação na AML confirmado com aumento do número de vendas.

Vendas habitacionais na AM LISBOA crescem mas valores médios reduzem.

Fonte: CI-SIR

Segundo as estatísticas para o 1º trimestre de 2009 do SIR Sistema de Informação Residencial, as vendas habitacionais na Área Metropolitana de Lisboa cresceram cerca de 8% face aos últimos três meses de 2008. Ao mesmo tempo o valor médio de venda diminuiu aproximadamente 7% (125€/m²) para valores médios de 1.571€/m² acentuando o diferencial entre o valor médio de venda e o valor médio de oferta para aproximadamente 200€/m² (-11%) valor que rondava os 75€/m² (-4%).
Relativamente á oferta na pool de empresas que participa no SIR, o numero de imóveis em comercialização decresceu 3% para 42,8 mil fogos sendo 58% respeitante a fogos usados e os restantes 42% respeitantes a novos sendo os valores de oferta de 1.925€/m² para novos e de 1.675€/m² em usados.
Nas vendas, o peso dos usados continuou a ser dominante tendo aumentando para 44%.

Veja aqui a comunicação da CI-SIR.

Um exercício interessante é ver o modo como por vezes os resultados das estatísticas são apresentados onde se realça o aumento do numero de vendas deixando para 2º plano a verdadeira e importante conclusão de que estamos a assistir a uma diminuição generalizada do valor médio de venda para habitação. É certo que o aumento do numero de vendas é um importante indicador do bom funcionamento do mercado mas olhar apenas para esse indicador não «esmiuçando» as estatísticas podemos ser levados a pensar que surgem bons sinais  para o Imobiliário quando na realidade estes vêem mesmo confirmar a tão indesejada quebra nos preços na habitação.

CONCRETA 2009 – Materiais de Construção e Obras Públicas

Logo Concreta 09

CONCRETA 2009 –  24ª Feira Internacional de Materiais de Construção e Obras Públicas

Data –  20 a 24 de Outubro de 2009

Local – EXPONOR – Feira Internacional do Porto

Reservado a Profissionais –  20 a 23 Outubro 2009 | 10h00 – 20h00

Para Profissionais e Público – 24 Outubro 2009 | 10h00 às 20h00

Organização – EXPONOR – Feira Internacional do Porto

Sectores em exposição

  • Arquitectura de interiores
  • Cerâmica de pavimentos, revestimentos, sanitários e torneiras
  • Rochas ornamentais, pedra e vidro
  • Cozinha e banho
  • Iluminação, electricidade, domótica, robótica, novas tecnologias e informática
  • Cimentos, argamassas, pré-fabricação e construção industrializada
  • Carpintaria em madeira, PVC e metálica
  • Madeiras e derivados
  • Isolamento, impermeabilização e outros produtos para acabamentos
  • Tintas e vernizes
  • Restauro, requalificação e reabilitação
  • Climatização, tubos e acessórios
  • Máquinas, ferramentas e equipamentos para a construção e obras públicas
  • Organismos oficiais e serviços
  • Outros

Destinada a engenheiros, técnicos, aplicadores, instaladores, assentadores, consultores, empreiteiros de obras de urbanização, hidráulicas, vias de comunicação e outras infra-estruturas, empresários, industriais da construção civil, arquitectos, entre outros.

FOGOS USADOS DOMINAM 70% DA OFERTA HABITACIONAL NA AM LISBOA

Estatísticas Confidencial Imobiliário|LardoceLar.com sobre oferta habitacional no 2º trimestre 2009

Os mais recentes dados Confidencial Imobiliário/LardoceLar.com, referentes ao 2º trimestre de 2009, revelam que cerca de 71% da oferta de habitação na Área Metropolitana de Lisboa (AM Lisboa), que totaliza mais de 200 mil unidades, é constituída por fogos usados. O concelho de Lisboa concentra a maior parte dessa oferta de usados, com cerca de 20% do total de fogos deste segmento disponíveis na base de dados. Adicionando Sintra, Cascais e Oeiras, esse peso ascende a mais de 50%.
Já no que respeita os fogos novos, que equivalem a 29% da oferta de habitação na AM Lisboa no 2º trimestre de 2009, o concelho de Cascais concentra a fatia mais expressiva deste segmento, com 16% da oferta. Este concelho associado aos concelhos de Lisboa, Seixal, Sintra e Almada representam mais de 50% da oferta de alojamentos novos na área metropolitana.

O valor médio da oferta de usados na AM Lisboa foi de 1.572€/m², com Lisboa a tomar a dianteira (2.284€/m²) e Sintra a apresentar o valor mais baixo (1.241€/m²). Do conjunto dos quatro concelhos com maior oferta de fogos usados, Cascais e Oeiras atingem valores muito próximos, de 1.876€/m² e de 1.822€/m², respectivamente.
Na habitação nova, o valor médio de oferta na área metropolitana foi de 1.827€/m², continuando a ser Lisboa a exibir o valor mais elevado (2.724€/m²), seguido de Oeiras (2.208€/m²), e de Cascais (2.126€/m²). Nos cinco concelhos mais representativos da oferta de alojamentos novos, o Seixal apresenta o valor mais baixo, não ultrapassando os 1.530€/m².

A Confidencial Imobiliário e o portal http://www.LardoceLar.com, desenvolvido e gerido pela Caixatec, do universo Caixa Geral de Depósitos, estabeleceram uma parceria, no âmbito da qual a primeira realiza o tratamento estatístico dos imóveis em oferta neste portal, que reunia, em 2008, um total acumulado de 567 mil imóveis e 1.723 empresas de mediação imobiliária. A Ci procede ao seu tratamento estatístico, incluindo procedimentos de validação e eliminação de registos repetidos, apurando resultados que podem ir ao nível da freguesia, sobre o stock em oferta e sobre os fluxos de entradas e saídas da base de dados, por tipologia e estado de uso.

Fonte: Confidencial Imobiliário.