Monthly Archives: Novembro 2009

Lançamento do Livro – Análise de Investimentos Imobiliários.

Análise de Investimentos Imobiliários é um importante livro, em português e editado no nosso país, sobre o mercado imobiliário comercial e os investimentos imobiliários. Da autoria de João Carvalho das Neves, Joaquim Montezuma e Amaro Laia, professores do ISEG e coordenadores do mestrado e da pós-graduação em Gestão e Avaliação Imobiliária, o livro é dirigido a estudantes de Real Estate Investments assim como a investigadores e profissionais com interesse em aplicações financeiras nos mercados imobiliários (profissionais do sector bancário, engenheiros, economistas, gestores, gerentes de imobiliárias, entre outros).

Depois de nos últimos anos terem sido publicados diversos livros de imobiliário em língua inglesa sobre princípios financeiros de investimento, este livro, que chegará na próxima semana às livrarias portuguesas, trata de conceitos fundamentais para estudantes de Imobiliário e outras partes mais avançadas dirigidas para estudos de pós-graduação e para profissionais do sector.

Análise de Investimentos Imobiliários é editado pela Texto e será apresentado pelo presidente da CMVM, Carlos Tavares, no próximo dia 3 de Dezembro, pelas 18h00, no Salão Nobre do ISEG, em Lisboa.

Anúncios

RICS research paper about social media in commercial property

O RICS – Royal Institution of Chartered Surveyors – vem mais uma vez demonstrar a sua intenção de se manter na vanguarda do sector Imobiliário mostrando-se também atento ás novas tecnologias de comunicação.

Um relatório, produzido por Andrew Waller e Bob Thompson, partners da REMIT Consulting sediada em Londres, vem resumir tanto quanto possível, o fenómeno das redes sociais, os seus prós e contras e suas implicações no Imobiliário.

“(…) professionals need to be prepared for the good and bad of Social Media – you can’t control it so try to understand it.”

O relatório pode ser consultado aqui RICS – The role of social Media in Comercial Property.

WORKSHOP – Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética – Ordem dos Engenheiros

Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética
Operacionalidade, Incentivos e Oportunidades

3 de Dezembro, das 9h00 às 17h00 – Ordem dos Engenheiros – Lisboa

O Workshop “Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética – Operacionalidade, Incentivos e Oportunidades” visa a apresentação e a discussão das oportunidades de intervenção que resultam da actual conjuntura no âmbito do PNAEE, dando relevo às vantagens económicas e aos instrumentos financeiros disponíveis. Serão igualmente objecto de análise e discussão as principais soluções técnicas em mercado, numa perspectiva custo-benefício. O Workshop é dirigido a todos os técnicos e decisores que influenciam a qualidade de construção do meio edificado.

Informações e Inscrições
Tel.: 219616646 | E-mail: mail@tironenunes.pt

ENTRADA GRATUITA MAS SUJEITA A INSCRIÇÃO

Programa

  • 9h00 Recepção dos participantes
  • 9h30 Boas-vindas e Enquadramento
    Victor Gonçalves de Brito – Vice-Presidente da Ordem dos Engenheiros
    António Gonçalves Henriques – APA
    Alexandre Fernandes – ADENE
    Livia Tirone – Iniciativa CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL
  • 9h50 Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética e Apoios Financeiros para a Reabilitação
    Alexandre Fernandes – ADENE
  • 10h10 Construção Sustentável Reabilitação do Meio Edificado
    Livia Tirone – Iniciativa CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL
  • 10h30 Certificação Energética e da Qualidade do Ar em Edifícios – Medidas de Melhoria do Desempenho
    Paulo Santos – ADENE
    Dília Jardim – APA
  • 11h00 Desmistificação dos Custos Associados à Construção Sustentável
    Susana Azevedo – BCSD Portugal
  • 11h20 Discriminação positiva no Financiamento de Medidas para uma Maior Eficiência Energética no Meio Edificado
    José Araújo e Silva CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS
  • 11h40 O Impacto da Certificação Energética sobre a Valorização Económica do Imobiliário
    Aníbal de Freitas Lopes – APAE
  • 12h00 Diálogo Moderado
    Alexandre Fernandes – ADENE
  • 12h30 Almoço (livre)
  • 14h00 Perspectivas e Oportunidades 1: Optimização do Desempenho das Áreas Envidraçadas
    Sérgio Timóteo – REYNAERS
  • 14h15 Perspectivas e Oportunidades 2: A Influência de Dispositivos de Sombreamento Exteriores em Edifícios
    José Paulo Braz Mendes – CRUZFER
  • 14h30 Perspectivas e Oportunidades 3: A Inércia Térmica a favor do Conforto Térmico em Edifícios
    Rui Monteiro – LAFARGE
  • 14h45 Perspectivas e Oportunidades 4: Isolamentos Térmicos Aplicados de Forma Contínua e pelo Exterior
    Nelson Moreira – MAPEI
  • 15h00 Perspectivas e Oportunidades 5: O Contributo dos Revestimentos Exteriores para a Eficiência Energética
    Sofia Silva – CIN
  • 15h15 Perspectivas e Oportunidades 6: Iluminação Muito Eficiente
    Nuno Quelhas – ARQUILED
  • 15h30 Perspectivas e Oportunidades 7: Sistemas Solares Térmicos
    André Cruz – VULCANO
  • 15h45 Perspectivas e Oportunidades 8: Sistemas Solares Fotovoltaicos de Fachada
    Orlando Sampaio – SAPA
  • 16h00 Perspectivas e Oportunidades 9: Coberturas e Revestimentos Cerâmicos Multifuncionais em Edifícios – Produção de Energia Eléctrica e Eficiência Energética
    Victor Francisco – Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro
    Jorge Barros – Coelho da Silva SA
  • 16h20 Diálogo Moderado
    Livia Tirone – Iniciativa CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL
  • 17h00 Encerramento
    Fernando Santo – Bastonário da Ordem dos Engenheiros
    António Gonçalves Henriques – APA
    Alexandre Fernandes – ADENE
    Livia Tirone – Iniciativa CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL

Rendas Prime estabilizam nos mercados de escritorios europeus

O European Prime Office Rental Index, índice baseado na performance ponderada de 24 mercados distintos na Europa, decresceu 0,8% ao longo do ultimo trimestre. Ainda assim as rendas situam-se agora em média 16% abaixo do nível de há um ano atrás o que representou uma descida como nunca registada anteriormente.

A maioria dos mercados analisados no European Prime Office Rental Index estão já numa fase avançada do ciclo correspondente á queda do nível de rendas esperando-se já pouca margem para novas descidas para além do que até agora foi observado.

Fonte: Jones Lang LaSalle

Veja mais aqui

Leilão Imóveis 12/12/2009 – Porto – Luso Roux

LEILÃO LUSO ROUX NO DIA 12 DE DEZEMBRO ÁS 15H NO NOVOTEL PORTO GAIA

Veja aqui a LISTAGEM COMPLETA dos imóveis a leilão no site da Luso Roux.

9ª edição ARTE LISBOA – Feira de arte contemporânea portuguesa – 18 e 23 de Novembro na FIL

A 9ª edição da ARTE LISBOA, considerada das mais importantes mostras de arte contemporânea do país, vai realizar-se entre os dias 18 e 23 de Novembro. A feira de arte contemporânea portuguesa decorrerá no Pavilhão 4 do recinto da FIL, situado no Parque das Nações, em Lisboa, junto ao Rio Tejo.

Mais de 60 galerias, portuguesas e estrangeiras, estarão presentes na 9ª edição da ARTE LISBOA. Os expositores, seleccionados segundo o critério da qualidade quer das suas propostas quer dos programas de actividade apresentados, asseguram assim o elevado nível do certame.
Enquanto referência no mercado em Portugal, a ARTE LISBOA oferece aos galeristas a oportunidade de darem a conhecer ao público comprador, interessado na arte contemporânea nacional e internacional, obras de artistas emergentes e consolidados. Trata-se de uma ocasião única dada a notoriedade que a feira granjeou junto dos agentes do meio artístico e do público em geral.

DATAS E HORÁRIOS

Preview & Vernissage:
18 de Novembro, das 18:00 às 23:00 horas
Abertura da Feira ao Público:
19-23 de Novembro, das 16:00 às 23:00 horas

Bilhete Individual 19-23 Novembro: 8,00 € (IVA incluído)
Bilhete Estudante / Jovem / Sénior 19-23 Novembro: 4,00 € (IVA incluído)
Catálogo Oficial ARTE LISBOA 2009: 20,00 € (IVA incluído)

Conferência “Minimizar Riscos e Maximizar Valor no Mercado Imobiliário”

A Vida Imobiliária e a Jones Lang LaSalle associam-se para organizar a conferência «MINIMIZAR RISCOS E MAXIMIZAR VALOR NO MERCADO IMOBILIÁRIO», a ter lugar no dia 27 de Novembro de 2009, em Lisboa.

No contexto económico actual, o mercado imobiliário sofreu alterações a nível global e Portugal não é excepção. De forma genérica, a preocupação comum e transversal a todo o sector imobiliário resume-se na seguinte questão: Como gerir os riscos advindos da crise e maximizar valor num contexto económico adverso? Num mercado imobiliário que se transformou, o equilíbrio de forças entre os diversos players poderá também alterar-se. Será que todos poderão tirar vantagens com estas mudanças? Como gerir essas mudanças para que todos possam sair reforçados da crise?

Um conjunto de especialistas oriundos de vários quadrantes da indústria imobiliária irá reunir-se nesta conferência para debater e reflectir sobre o futuro deste mercado, tendo como ponto de partida a situação em que nos encontramos neste momento. O evento irá ainda, e sobretudo, dar a conhecer as soluções para os problemas que o sector enfrenta, seja através da apresentação de casos de boas práticas seja através da intervenção de profissionais com conhecimento e experiência em áreas específicas.

Não perca oportunidade de marcar presença neste evento. Inscreva-se já.

Clique aqui para aceder ao programa.

C&W publica Business Briefing sobre o sector de retalho de luxo em Portugal

A Cushman & Wakefield publicou o seu mais recentemente Business Briefing e que aborda a a actividade imobiliária do mercado de retalho de luxo em Portugal.
c&wbusinessbriefingretalholuxoemportugal_nov09_350

O cenário de crise global que o mundo hoje atravessa, veio contrariar a “velha máxima” da imunidade do mercado de luxo às recessões económicas (…) em 2009 as vendas do sector a nível mundial terão uma quebra de cerca de 8%, prevendo também que o regresso aos níveis de vendas registados em 2007 não será uma realidade antes de 2012.
(…) Hoje Portugal conta com um leque de marcas de renome internacional, incluindo Louis Vuitton, Hermès, Hugo Boss, Emporio Armani, Carolina Herrera, Dolce & Gabanna e Loewe.
Os desafios para o retalho de luxo em Portugal coincidem com os do comércio de rua, que constitui o destino preferencial destas marcas (…) A reabilitação do património e a gestão estratégica dos centros urbanos serão factores decisivos para o sucesso.

Fonte: C&W Business Briefing – Retalho de Luxo em Portugal

Faça aqui o download do estudo Business Briefing – Retalho de Luxo

Transit Oriented Development – Dutch ULI Young Leaders Symposium

ULI tod

On the 13th of November the Amsterdam ULI Young Leaders is organising a symposium on Transit Oriented Development. Please follow the link below to find more information.

ULI Invitation 13 november 2009

The Dutch ULI Young Leaders Group will organize a symposium on Friday the 13th of November about Transit Oriented Development (TOD). This symposium will cover urban and real estate development around transit and infrastructure nodes.
With this one day event we want to reflect on different forms of TOD, as well as how infrastructure nodes and transit modalities adapt
to changes in society and the business environment.
We cordially invite you to participate in this symposium. Senior Dutch ULI leaders are invited to join us for the afternoon session, in which a panel will discuss the future of TOD and its relevance for the Netherlands.

Ordem dos Engenheiros Agenda Lançamento da Obra “Fontes Pereira de Melo”

FPMelo_OE

Lançamento da Obra “Fontes Pereira de Melo” da autoria de Maria Filomena Mónica e com apresentação do Eng.º Fernando Santo – Bastonário da Ordem dos Engenheiros.

Dia 9 de Novembro, 18h00
Ordem dos Engenheiros, Lisboa

O lançamento da obra de Maria Filomena Mónica “Fontes Pereira de Melo” terá lugar no Auditório da Ordem dos Engenheiros, em Lisboa, no dia 9 de Novembro, pelas 18h00. A apresentação do livro, editado pela Alêtheia Editores, está a cargo do Bastonário da Ordem, Fernando Santo.

Em 1850, o estado das estradas portuguesas não podia ser pior. A única via decente era a que ligava a capital a Coimbra. De Lisboa, era mais fácil chegar‐se a Southampton do que a Bragança. Fontes Pereira de Melo acreditava que a circulação ‐ das coisas, dos homens, das ideias – era positiva. Foram os governos a que presidiu, ou em que teve assento, que, entre 1856 e 1886, planearam e construíram 82,5% dos 2.153 quilómetros de vias-férreas existentes. Também contra a opinião da maioria.

Uma discussão muito semelhante à que hoje acontece em torno da construção do TGV.