Rendas em espaços industriais descem 5,5% em todo o mundo ao longo do ano 2009

A consultora internacional C&W, publicou recentemente o seu relatório anual de research “Industrial Space Across the World“ onde analiza o panorama do mercado imobiliário industrial mundial.

Seguem-se alguns excertos da noticia do jornal Oje e que resume as principais conclusões do estudo.

Espaços industriais com rendas em queda, afirma a Cushman & Wakefield(…)
A redução global da procura de bens levou a uma redução generalizada das rendas dos espaços industriais. A América do Sul foi a geografia mais resistente, enquanto a Ásia revelou quebras elevadas. O estudo “Industrial Space Across the World 2010”, publicado anualmente pela consultora imobiliária global Cushman & Wakefield (C&W), indica que as rendas dos espaços industriais desceram uma média de 5,5% em 2009, reflectindo a diminuição da procura de bens por parte dos consumidores durante a recessão económica. Pela primeira vez, nos 15 anos de história deste estudo, verificou-se uma compressão do valor das rendas em todas as regiões.
(…)
No ranking das 49 localizações mais caras do mundo, a zona do aeroporto de Heathrow em Londres continua a ser a localização industrial mais cara do mundo, com o custo de ocupação anual de cada metro quadrado de espaço industrial a alcançar os 200 euros, cerca de um terço mais que o segundo lugar, a cidade de Tóquio, no Japão, que atingiu os 152 euros. Na terceira posição encontra-se Hong Kong com 146 euros anuais por metro quadrado.
Um número muito reduzido de localizações conseguiram registar um crescimento no valor das rendas, devido essencialmente à falta de espaços industriais prime disponíveis ou pela elevada qualidade dos imóveis nessas zonas. Na Índia, Gurgaon, em Nova Deli e Chakan, em Pune, verificaram as maiores subidas, de 16,7% e 15,4% respectivamente.
(…)
Portugal desceu cinco lugares no ranking dos países, ocupando agora a 32ª posição. O valor anual de um metro quadrado de espaço industrial na área da Grande Lisboa é de 60 euros, contrastando com os 72 euros praticados em 2008.
A evolução negativa das rendas decorreu da situação global da economia e do mercado imobiliário, mais do que da própria natureza do sector industrial. O mercado industrial teve em 2009 um desempenho satisfatório, tendo-se aproximado de um maior equilíbrio entre a oferta e a procura., em grande parte devido ao reduzido número de novos projectos. Durante o ano de 2010 não será expectável nova quebra nos valores, tendo em conta a continuada ausência de novos projectos a entrarem no mercado.
(..)

Veja aqui o artigo completo na fonte: Jornal Oje

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s