Monthly Archives: Maio 2009

Leilão Imóveis 30/05/2009 – Porto – Luso Roux

LEILÃO LUSO ROUX NO DIA 30 DE MAIO NO HOTEL TRYP PORTO EXPO

Veja aqui a LISTAGEM COMPLETA dos imóveis a leilão no site da Luso Roux.

Anúncios

Leilão Imóveis 31/05/2009 – Lisboa – Luso Roux

LEILÃO LUSO ROUX NO DIA 31 DE MAIO NO HOTEL VILA GALÉ ÓPERA LISBOA

Veja aqui o LISTAGEM COMPLETA dos imóveis a leilão no site da Luso Roux.

Moradias de luxo no Algarve valorizaram 15% em 2008

Quinta do Lago e Vale do Lobo são os destinos mais caros. Uma moradia T5 custa 3,1 milhões de euros.
O mercado residencial de luxo no Algarve ainda mantém o brilho que faz deste destino um dos melhores do Sul da Europa. A prová-lo está o facto de as moradias de empreendimentos exclusivos como a Quinta do Lago, Vale de Lobo e Almancil, terem valorizado 15% em 2008. A conclusão é do estudo “Mercado Residencial Turístico de Luxo”, elaborado em conjunto pela consultora Prime Yield e pela empresa de mediação IRG – International Realty Group, afiliada do Christie´s Real Estate.

Numa análise comparativa dos preços de venda das casas de luxo em 2008, em relação a 2007, a conclusão é que nos empreendimentos exclusivos do Triângulo Dourado, localizado junto a Vilamoura, as moradias isoladas em ‘resorts’ turísticos continuam a ter compradores e os preços valorizaram, apesar da crise. Mudaram apenas os compradores. “Agora são os angolanos e os investidores dos países de Leste que substituíram os ingleses e irlandeses, na aquisição das exclusivas moradias que atingem os 3,1 milhões de euros, no caso de T5, 2,8 milhões de euros, no T4, ou 1,2 milhões de euros, no caso do T3”, salienta Nelson Rêgo, director da Prime Yield.
Fonte: Diário Económico.

Veja aqui a noticia original na fonte.

3º Fórum do Imobiliário, do Urbanismo e Arquitectura de Angola com nova data

Fórum do Imobiliário com nova data
3fi

O 3º Fórum do Imobiliário, do Urbanismo e Arquitectura de Angola, iniciativa Polis Luanda inicialmente marcada para o dia 8 de Maio, foi reagendada para os dias 12 e 13 de Junho, no Hotel Trópico, Sala Luanda e Piscina. A alteração visa conseguir uma participação mais abrangente dos diferentes stake-holders do projecto. Recorde-se que neste evento será apresentado o 2º Estudo de Mercado Imobiliário Residencial de Luanda, e realizada a 3ª Mostra Imobiliária de Luanda. Serão ainda apresentados os prémios do Imobiliário 2009, iniciativa que tem como objectivo promover o imobiliário sustentável e a excelência no sector. A apresentação de candidaturas aos prémios tem início precisamente no dia 12 de Junho.
Os oradores convidados para este fórum abordarão temas como a estratégia de loteamentos de terrenos, as reservas fundiárias do Estado, os novos instrumentos jurídicos de gestão e regulação do sector do urbanismo e habitação, as técnicas de construção em vidro e materiais alternativos ao cimento, a possibilidade das energias renováveis em Angola, a arquitectura sustentável, bem como as oportunidades de investimento em Luanda.
Para mais informações, todos os interessados poderão obtê-las em http://www.ao.imoguia.com/forumangola.

Imóveis BPI em leilão é já neste fim de semana.

Imóveis BPI em leilão

Relembramos a realização de dois leilões imobiliários que incluem imóveis do BPI no próximo fim de semana (23 e 24 de Maio).

Organizados pela Luso-Roux, estes eventos terão lugar:

no dia 23 de Maio, às 15h00, no Hotel Tryp Porto Expo, Rotunda da Exponor, Leça da Palmeira – Matosinhos

no dia 24 de Maio, às 15h00, no Hotel Vila Galé Ópera, Travessa do Conde da Ponte, Alcântara, Lisboa (perto do Centro de Congressos de Lisboa).

Para os Imóveis BPI objecto de leilão, o Banco disponibiliza as seguintes Condições Especiais de Crédito Habitação *:

– Isenção da Comissão de Dossier – Isenção do Custo de Avaliação

– Dispensa do Registo Provisório de Hipoteca

– Serviço de Documentos gratuito

– Não aplicação da comissão por conversão de registos.

Aproveite esta oportunidade e não deixe de visitar os leilões.

Para o apoiar no pedido de crédito e na formalização do CPCV, estarão presentes, nos leilões, equipas do Banco BPI.

Caso necessite de alguma informação sobre os leilões poderá consultar o site da Luso-Roux em

www.luso-roux.pt.

Informação adicional:

1 – Condições para inscrição no leilão presencial:

Para a inscrição nos leilões presenciais, o interessado deve ser portador dos seguintes elementos:

– Original e cópia do Bilhete de Identidade;

– Original e cópia do Número de Identificação Fiscal;

– Cheque para pagamento de caução, no valor de € 1.750,00 (mil setecentos e cinquenta euros); – Cheque para pagamento do sinal caso arremate algum imóvel;

1 – No caso de arrematação de imóvel, a entrega de sinal e a assinatura do respectivo Contrato Promessa de Compra e venda são efectuados no dia do leilão.

* TAE promocional 2,672%. TAE não promocional de 2,719%, incluindo comissões iniciais de € 442,30. Taxas calculadas para um financiamento de € 75.000 a 30 anos, com relação financiamento/garantia de 60%, taxa de juro de 1,422% em Maio de 2009, revista trimestralmente e indexada à média da Euribor a 3 meses do mês anterior, arredondada à milésima, acrescida de spread de 0,90% (dependente da subscrição de 7 produtos e sua manutenção ao longo do contrato). Incluem seguro de vida de € 13,89 no primeiro mês, actualizado mensalmente de acordo com o capital em dívida, para um titular com 18 anos e seguro multirriscos de € 14,38/mês, para um imóvel numa zona de baixo risco sísmico. Os reembolsos antecipados estão sujeitos a uma comissão de 0,5% sobre o capital a amortizar acrescida de Imposto do selo.

Conferência Europeia de Investimento Imobiliário – IPD

Europe banner copy

Conferência Europeia de Investimento Imobiliário – IPD
Reality dawns: confronting European property’s brave new world*

* A Realidade Emerge: Enfrentar o Novo Mundo do Imobiliário Europeu

4 – 5 Junho 2009, Barcelona

No novo mundo do Imobiliário europeu apenas os mais fortes e preparados sobreviverão: num contexto de mudanças rápidas, apenas os que possuem informação e uma estratégia poderão ser bem sucedidos

Destaques do Programa

  • À luz da actual crise financeira, uma das principais intervenções, a cargo de Willem Buiter, LSE, aborda a questão de para onde está a direccionar-se a Europa em termos das tendências económicas mundiais.
  • O lançamento do IPD Global Index e Mark Roberts, Invesco a pronunciar-se sobre as perspectivas futuras para os retornos do investimento imobiliário a nível mundial
  • Sessões sobre quem investirá no Imobiliário neste momento e quais as questões financeiras que necessitam de ser ajustadas para que a confiança no Mercado volte a surgir
  • Debate alargado com personalidades de destaque da indústria Imobiliária europeia acerca da forma como o Mercado poderá alterar-se nos próximos anos
  • Sessões paralelas acerca das oportunidades para investir dentro e fora da Europa
  • Sessão de encerramento sobre a sustentabilidade, com o arquitecta francesa Francoise-Hélène Jourda

Esta conferência integra igualmente os prémios IPD Investment e a Property Information Fair.

Para mais informações consulte www.ipd.com/europeanconference

Conferência “O Financiamento e Garantias no Sector Imobiliário”

Conferencia Vida Imobiliaria Financiamentos e Garantias

A Vida Imobiliária e o Grupo Editorial Vida Económica estão a organizar uma Conferência sobre o tema “O Financiamento e Garantias no Sector Imobiliário”, que terá lugar no dia 25 de Maio de 2009,no Hotel Tiara Atlantic Park, em Lisboa.

Não hesite em garantir a sua presença. Para conhecer mais pormenores do evento veja o ficheiro anexo.

MF_ConferenciaVI_20090525

Bancos Europeus mais exigentes no financiamento a novos clientes

Cerca de 59% dos bancos europeus não financiam novos clientes, nem estão disponíveis para financiar a compra de imóveis, segundo o estudo da consultora imobiliária Cushman & Wakefield, realizado a 83 dos maiores bancos europeus. Ainda assim, há bancos que demonstram já alguma disponibilidade para financiar, desde que sejam imóveis prime ou empresas de renome. A consultora revela ainda que dos 22 bancos que financiam novos clientes, muitos têm restrições quanto ao valor emprestado e aos destinatários do financiamento. As condições para obtenção de crédito passam por se ter um histórico de transacções com o banco ou dispor de património líquido.
Metade destas 22 entidades bancárias prefere negócios que envolvam transacções inferiores a 20 milhões de euros, enquanto que as restantes estão disponíveis para financiar a compra de imóveis até aos 55 milhões de euros. Os bancos exigem menor risco nas aquisições, facto que se reflecte na diminuição dos rácios de valor da hipoteca. Segundo Luís Rocha Antunes, Partner e Director do Departamento de Investimento da Cushman & Wakefield em Portugal: “A crise financeira reduziu significativamente o crédito disponível para transacções imobiliárias e alguns dos bancos, que foram demasiado expostos ao mercado imobiliário, não mostram abertura para conceder financiamento a novos negócios. A dinâmica do mercado irá influenciar as tomadas de decisão e os bancos irão financiar bens imobiliários prime, com contratos de arrendamento a longo prazo na Europa Ocidental e outros mercados principais, a empresas de renome.” A falta de financiamento para bens imobiliários contribuiu também para um decréscimo acentuado do número de transacções. O investimento imobiliário desceu 59% em 2008, para 320 mil milhões de euros contra os 773 mil milhões de euros em 2007. Este é o valor mais baixo desde 2004, com um claro decréscimo no investimento por parte de investidores estrangeiros. Segundo a edição Investment Atlas 2009, publicado pela Cushman & Wakefield, o volume de negócios irá descer novamente este ano, para cerca de 300 mil milhões de euros.

Fonte: Vida Imobiliária

Mercado habitacional de Angola direcciona-se para habitação social

A oferta de habitação em Angola está a direccionar-se para os segmentos de mercado mais baixos, que se tem tornado um oportunidade de negócio, segundo o estudo da Proprime revelado pelo Diário Económico.
O estudo Imobiliário Luanda 2009 – Habitação e Escritórios, produzido pela Proprime, Consultadoria e Avaliação Imobiliária, que contou com a parceria do portal Casa Sapo, revela que “a par da estratégia governamental de apoio ao investimento, surge o programa estatal de construção de um milhão de fogos habitacionais até 2012”.
Este programa estatal pretende, de acordo com este estudo, restabelecer “o equilíbrio de mercado de baixa e média renda”, uma medida que ajudará a regular o mercado e a ser um pólo dinamizador do sector da construção”. No que diz respeito ao mercado da habitação de luxo, este estudo incidiu sobre as zonas de Ingombotas, Maianga, Luanda Sul, Viana e Camama, onde os valores médios de habitação, estima a consultora, rondam os três mil euros por m2. Contudo, a zona de Ingombotas é onde se encontra o valor médio unitário superior, de cerca de 4.200 euros por m2. Entre as zonas mais valorizadas, a que tem preços mais baixos é Camama, onde se encontram apartamentos por valores unitários médios de 2.200 euros por m2. Os valores de habitação apresentados pelo estudo, que se enquadram num segmento residencial de luxo – empreendimentos em condomínio – destacam ainda que em Luanda Sul um apartamento T4 pode atingir um valor médio de cerca de três mil euros por m2, em detrimento de uma tipologia T3, que pode situar-se nos 2.860 euros por m2. A Proprime conclui que “é visível um ajustar de valores, justificado pelo cada vez maior número de profissionais qualificados a intervir no sector e pelo aumento do equilíbrio entre a oferta e a procura”. “Os valores unitários, em termos gerais, descem proporcionalmente em função das áreas de construção”, escreve-se no estudo.

Fonte: Vida Imobiliária

Preços na habitação no Algarve cresceram em 2008

Os preços de oferta habitacional no Algarve fecharam o ano nos 1.756 euros/m2, denotando um crescimento de 6,7% face a 2007, segundo os dados estatísticos do Confidencial Imobiliário/ LardoceLar.com. No final do ano 2008, as mesmas estatísticas contabilizavam um total de 41,5 mil alojamentos em oferta no Algarve, num crescimento forte face aos 30,2 fogos que compunham a base de dados em 2007. No que respeita os preços de oferta por segmento, os alojamentos novos lideram, posicionando-se, mesmo, acima do valor mercado, com a habitação em oferta a atingir um nível médio de 1.882€/m² em 2008.
Neste segmento, Albufeira lidera a lista em 2008, com um valor médio de 2.442€/m², seguindo-se Loulé, cujo preço médio da habitação é de 2.073€/m². Em Portimão e Faro, os valores médios da oferta habitacional nova situam-se abaixo dos 2.000€/m², sendo de, respectivamente, 1.904€/m² e de 1.590€/m². No caso dos fogos usados, o valor médio da oferta no total do mercado é de 1.641€/m², com Loulé a superar todos os outros concelhos e a média de mercado, atingindo os 1.960€/m². Albufeira, também acima do mercado, tem preços médios de oferta na casa dos 1.879€/m². em Faro e Portimão, esses valores foram de 1.511€/m² e 1.419€/m².

Fonte: Vida Imobiliária